Antes do embarque, uma carta à esposa

 

 

                                           Vila Militar, terça-feira, 19 de setembro.

                                                                 20 horas.

 

Minha Querida,

 

     Acabo de realizar o último culto em terra. Embarcaremos de madrugada.

Inauguramos o estandarte no domingo passado, de manhã tivemos um culto militar muito bonito.

O coro cantou bem.

Vários oficiais assistiram, inclusive o subcomandante. Todos aqui acham muito bonito o Culto da Alvorada, às 6:15 h.

    

     A interdição do quartel é muito rigorosa por ser necessária. Conto com um amigo para por esta carta no correio. Quando recebe-la já estarei navegando.

 

Não chora, Nicky. O tempo passa depressa. Você tem uma coroa tão grande logo agora... sonhei com o bebê esta noite.  Quando acordei parecia que já eram cinco “personas”...

Já tenho tanta saudade de você Nicky. É por isso que eu andava tão ranzinza ultimamente...

já estava antecipando o que agora se passa.

 

Sei que Deus nos guardará, porque temos provas tantas de que sempre nos tem protegido.

Beije (de fato, literalmente) as crianças por mim. Diga que eu mandei um beijo. Lembranças a todos, especialmente à Laurinha e o Miranda.

            E para você, Nicky, um beijo com todo o amor do teu

                                                                             

                                                                             João

 

Capelão Soren