Contemporâneos

Bill Ichter

 

Usando o cognome de Nelson Marianti (Nelson o nome de um de seus filhos, Marianti o sobrenome de sua professora de português), Bill Ichter inscreveu-se e concorreu no procedimento de seleção do hino oficial para a Campanha Nacional de Evangelização da Convenção Batista Brasileira, em 1964. A composição nasceu do inspirado poema de Mário Barreto França (1909-1983) e foi escolhida como hino oficial. 

Abaixo, segue a primeira versão do hino na tonalidade de Lá bemol maior, edição histórica e ainda com o cognome, constante do Hinário da Campanha Nacional de Evangelização. Posteriormente o hino foi incluído na mais recente edição do Hinário Cantor Cristão e no Hinário para o Culto Cristão, na tonalidade mais alta de Si b maior, com autorização do compositor. 

William Harold Ichter

11 de dezembro de 1925      -        29 de agosto de 2019

foi o primeiro missionário-músico enviado pela Junta de Richmond 

e realizou 35 anos de profícuo ministério entre os batistas no Brasil.

 

Possuidor de uma biografia abençoada contando inúmeras iniciativas no campo da música sacra, Bill Ichter, maestro de personalidade musical inesquecível, proporcionou-nos um amplo acervo com publicações de hinos, coletâneas corais, livros sobre hinologia, entre tantas outras realizações registradas na história dos batistas brasileiros. 

 

Prestamos comovido tributo ao músico sempre lembrado por sua grande capacitação e modéstia. Assim sendo, apresentamos documentos de nosso arquivo desejando que o exemplo de sua vida continue a ser motivo de inspiração para gerações futuras.

"Cristo é a única esperança"

 Nanticoke, Pennsylvania                      Minden, Louisiana            

Documento gentilmente cedido por Zelia Monteiro da Silva

“Bill Ichter tem qualidades excepcionais regendo... Não só por causa de sua estatura alta, delgada e seus braços longuíssimos, o que possibilita um imenso coro no Maracanã segui-lo sem problemas; mas sobretudo a forma expressiva, ungida e a clara técnica de regência fazem dele um admirável Kantor.”

 João Filson Soren

O Combatente

Admiração mútua. João Filson Soren e Bill Ichter foram integrantes de Forças Expedicionárias na Segunda Guerra Mundial, defendendo seus respectivos países.

Nas solenidades, nos cultos ou em desfile militar da CONFRATEX - Confraternização dos Ex-combatentes e Veteranos Evangélicos da FEB - organização criada pelo Pastor Soren, em 1946, Bill Ichter desde sua chegada ao Brasil, sempre esteve presente.

Ele foi agraciado com a Medalha de Confraternização.

O Idealizador

“Cantar os hinos tem sido muito importante desde os primeiros dias do cristianismo”

  Bill Ichter

O 1º. Instituto de Música Sacra, que teve a participação de duzentos e setenta e cinco músicos matriculados, foi uma iniciativa de Bill Ichter. Realizado em março de 1964, músicos evangélicos, professores e alunos deslocaram-se para Recife e desenvolveram ali durante seis dias atividades teóricas e práticas no templo da Igreja Batista de Capunga, no Seminário, no SEC – Seminário de Educadoras Cristãs, na Escola de Belas Artes, no Conservatório Pernambucano de Música e no Canal 2 da TV Rádio Jornal do Comércio.

“Americano de nascimento, brasileiro de coração”

  Henriqueta Rosa Fernandes Braga

Corpo docente do 1º. Instituto de Música Sacra.

Professoras Katherine Smith, Marilia Soren, Noemi Gonçalves e Elza Lakschevitz

Professores Fred Spann, Bill Ichter e Gamaliel Perruci.

O Prof. Davi Mein, ausente na foto, lecionou "A Música na Bíblia".

Recife, 16 a 21de março de 1964.

Leia o artigo  “O significado da missão de Bill Ichter”,  homenagem escrita por Roberto Torres Hollanda  >>>

Especial para o site Hinologia Cristã, publicado aqui com permissão do autor. 

O Visionário

"A importância que os hinos tem tido na história do mundo..."

 Bill Ichter

      O exercício desta importância não somente está em utilizar o acervo musical da Cristandade, como também o estudar, tornando evidente o correto e admirável propósito de seus autores e compositores.

Assim também acreditava Bill Ichter. Sua contribuição para este tema encontra-se nas edições de “Se os Hinos Falassem...”, publicados pela JUERP a partir de 1984. Tais breves textos recuperam com esmero o processo de união entre autor e compositor, que em inúmeros casos nem sequer se conheciam, mas no qual encadeamento utilizavam belas e competentes poesias sacras a composições músicais.

A hinologia Cristã é a estrutura basilar da expressão cantada no louvor a Deus. Ichter prova este seu entendimento como podemos depreender no texto abaixo.

Trecho da apresentação da primeira edição em português do livro “Hinódia Cristã” de Edmond D. Keith,

que foi igualmente impressa na segunda edição pela JUERP, em 1987. 

1/1

     “Hoje em dia há grande necessidade de uma avaliação cuidadosa da nossa hinologia. A hinologia cristã é uma herança nossa, resultado de vários séculos de trabalho, escrita em várias línguas. Temos uma obrigação sagrada de conservá-la e aumentá-la tanto quanto possível. Há uma certa tendência hoje em dia de deturpar músicas e letras que há anos existiam e inspiraram pessoas do mundo inteiro. Se não formos diligentes e conscientes neste trabalho, há grande possibilidade de daqui a duas gerações só existir uma grande confusão em vez desta herança sagrada.”

 

Bill H. Ichter

Diretor do Departamento de Música

da Junta de Escolas Dominicais. 

1960.

"Posso todas as coisas naquele que me fortalece"

Filipenses 4:13

O versículo bíblico que Bill Ichter escolheu para acompanhar a sua vida.

1º. Instituto de Música Sacra,Recife,1964. Artigo do Jornal Batista, em 31 de maio de 1964, página2